Lado Feminino

Imagem meramente ilustrativa, essa não é e nem se parece com Janaina.

Todos nós, homens ou mulheres, temos um lado feminino, acredite ou não, eu tenho e você também, o meu lado feminino se chama Janaina, uma lésbica caminhoneira com pouco mais de cem quilos, uma deusa entre os mortais.

Janaina é uma mulher forte, que gosta de comer picanha, está comigo desde que me entendo por gente, me aconselhando e me dizendo como agir nas mais diversas situações, cuidando de mim, me protegendo e me defendendo, me colocando em brigas e me ajudando a sair delas por cima, e claro, me dando conselhos amorosos, lembro-me de um dia quando eu ia à casa de Layla levando um buque de flores e uma caixa de chocolate no dia dos namorados em que a pediria em namoro, ela disse:

“Mais que viadagem, que imbecil”

Ao que questionei:

“Mais Janaina, eu estou sendo romântico, não é disso que as mulheres gostam?”

Ela respondeu:

“Vai se fuder seu imbecil, mulher não quer romantismo seu babaca, olha pra mim, você acha que eu não sei do que as mulheres gostam?”

“Bom, você é uma mulher, que gosta de mulheres!”

“O que me torna uma especialista, vamos lá, quem de nós dois ficou com mais mulheres?”

Ela tinha razão, Janaina sempre tinha razão, nesse momentos paramos e demos o buque de flores para um mendigo que gritou algo sobre a incapacidade de trocar aquilo por aguardente, e comemos os chocolates juntos, doce e sábia Janaina, sempre disposta a me ajudar, caminhei sem nada para a porta de Layla, mas meu plano havia sido desfeito, então questionei:

“O que devo fazer Janaina?”

Ao que minha doce amiga e confiante contra-parte respondeu:

“Deixa que eu falo por você!”

Toquei a campainha e a porta se abriu, a própria Layla atendeu, ela me encarou com uma expressão de curiosidade:

“E ai gata, to sentindo o seu cheiro de fêmea desde a esquina e passei pra ver se precisava de alguém que colhesse teu suor com a linguá, topa?”

Ela me olhou como se eu fosse louco, no segundo seguinte, um sorriso se formou em seus lábios e ela gargalhou, como nunca havia visto ela gargalhar enquanto me prostrava na casa vizinha com binóculos olhando em sua direção, não que eu tivesse pago o vizinho de Layla para que me permitisse fazer isso, mas o fiz, ela parou de rir por alguns segundos, se aproximou de mim e me beijou no rosto.

“Você é engraçado!”

Ela disse com simplicidade.

“Sou?”

“Agente se vê amanhã na escola!”

Não que eu tenha me matriculado na mesma escola que ela para poder observá-la de perto, mas eu o fiz, doce Layla, ela fechou a porta ainda com um sorriso no rosto, essa havia sido a segunda vez que falei com Layla, e com certeza foi a que durou mais tempo, sorri e coloquei a mão no rosto.

“Acho que nunca mais vou lavar essa bochecha”

Ao que Janaina respondeu:

“PORCO!”

Em seguida ela arrotou, me deu um soco no ombro, doce Janaina, sempre sabia o que falar e a hora que deveria falar.

“Você é muita sábia Janaina, como faz isso?”

“Tinha um sábio que sempre me inspirou… Sabe qual é o negócio?”

“Qual?”

“O negócio é comer cu e buceta!”

Sabia Janaina, ela sempre tinha as melhores citações, caminhamos para casa preparados para ver um desenho pornográfico japonês com tentáculos, talvez tenha esquecido de comentar, mas Janaina as vezes gostava de ser um polvo… Doce e sábia Janaina!

“Gata, seu pai é irmão da sua mãe? Não? Porque você é excepcional!” AQUAPLAY, Professor

Comentários

Comentários!