Musicas do Suicídio

Um tema um pouco chocante, bem antes de mais nada, não somos o Assustador nem o Cabuloso, então você não vai encontrar aqui imagens de suicidas para satisfazer sua mórbida curiosidade, eu vou falar apenas do tema como um todo e mais, sobre algumas curiosidades a respeito de um ato um tanto quanto deprimente.

Depressão

O que leva alguém ao suicídio? A tristeza? O desespero? O que leva alguém até o limite, até o ponto da pessoa quebrar o instinto mais primitivo que é compartilhado por todas as formas de vida? O instinto de sobrevivência!

O motivo pelo qual faço esse texto principalmente é por causa desse antigo mito, a música húngara do suicídio, canção do compositor Rezso Seress que dizem ter inspirado dezenas de suicídios, incluindo o do próprio autor, em minha opinião uma grande tolice, mas eu sou apenas uma opinião, abaixo segue um vídeo com a música original em húngaro, caso você seja impressionável não aconselho a ver, apesar de que você não entenderá nada se não souber falar húngaro, em todo caso, fica o aviso, a musica é um tanto tensa e deprimente:

Segue a tradução da letra para o português:

Domingo sombrio, com centenas de flores
Eu estava esperando por você querida com uma prece
Uma manhã de domingo, correndo atrás de meus sonhos
Minha carruagem de tristeza retornou sem você
É desde então que meus domingos foram para sempre tristes
As lágrimas são minha única bebida, a tristeza é meu pão
Domingo Sombrio

Neste último domingo, minha querida por favor venha até mim
Haverá um padre, um caixão, um sepulcro e uma mortalha
Haverão flores para você, flores e um caixão
Sobre as árvores florescentes se dará minha última jornada
Meus olhos estarão abertos para que eu possa lhe ver uma última vez
Não tenha medo de meus olhos, eu a estou abençoando mesmo na minha morte
Neste último domingo

Agora o suicídio do autor aconteceu mais de trinta anos depois da composição da musica, em todo caso as pessoas muitas vezes o atribuem a musica, assim como tantos outros suicídios, em minha opinião, uma música não faz a pessoa se suicidar, acredito que uma pessoa com tendências suicidas que está deprimida, ira optar por ouvir musicas que condizem com seu estado mental na época, creio que seja a inversão de causa e efeito, a pessoa não cometeu suicídio por ouvir a musica, mas ela ouviu a música por estar depressiva e até com tendências suicidas, pode haver um caso em que alguém tomou coragem para se matar após ouvir a musica, mas duvido muito que alguém em um estado emocional bom, sem nenhum problema fosse se matar só por ouvir essa musica.

A Tout Le Monde!

A Tout Le Monde!

Um caso que queria comentar também, foi o da música “A Tout Le Monde” da banda Megadeth, a música segundo Mustaine são as ultimas palavras que ele diria para se despedir de alguém, mas muitos a interpretam como uma carta de suicídio, em setembro de 2006 um homem chamado Kimveer Gill invadiu o Dawson College onde realizou um massacre, no dia do ataque ele havia mencionado a musica em seu blog, o que fez muitos grupos condenarem a banda.

O líder da banda e compositor da música Dave Mustaine comentou sobre isso:

“Eu estava com tanta raiva que esse cara iria usar a minha música, e que ele iria tentar transformar essa bela canção em algo feio e desagradável. Ela é para aqueles que perderam suas vidas, e é um presente para aqueles que estão no processo de recuperação (…) e Gill não era digno de ser um fã do Megadeth.”

O clipe chegou a ser proibido de passar na MTV ao que Mustaine disse:

“Vocês fizeram de Kurt Cobain o homem do ano, e se ele deixou alguma coisa como sua última mensagem permanente é que o caminho mais fácil é estourar seus miolos.”

A canção foi regravada com a participação da bela Cristina Scabbia, eu pessoalmente a tenho como uma de minhas músicas preferidas da banda, mas aqui vai o clipe pra que vocês possam dizer o que acham.

Um trecho do refrão é cantado em francês, a tradução do refrão seria a seguinte:

A todo mundo
A todos meus amigos
Eu os amo
Eu devo partir
Essas são as ultimas palavras
Que sempre irei dizer
E elas irão me libertar

Pra terminar o Post eu queria falar de HQs, certo, vamos do começo:

Cara de Cu... Sim, esse é o nome do personagem!

Cara de Cu… Sim, esse é o nome do personagem!

Preacher é uma HQ americana como poucas, se você não tem pudores nem nada similar, você vai adorar, o personagem Assface é um adolescente fã de Nirvana que tenta cometer suicídio atirando no próprio rosto, mas falha, e como resultado fica desfigurado, onde isso encontra um paralelo? Bem, no mundo real, dois garotos fãs de Judas PriestRay BelknapJames Vance tentaram o suicídio em um playground de uma igreja, apenas Ray teve sucesso, James sobreviveu e ficou desfigurado, e morreu de overdose cerca de três anos depois, os familiares processaram a banda alegando que uma de suas músicas possuía uma mensagem subliminar dizendo: “Do It!” (Faça isso!) que os incentivou a tentativa de suicídio, segue o vídeo da música:

Essas são algumas das canções que as pessoas alegam que tenham efeitos sobre nossas ações fortes o suficiente para que as pessoas cometam suicídio, bom, já expus meus pontos e creio que isso não passa de uma série de lendas e contos bobos, as pessoas não cometem suicídio por ouvirem músicas violentas, ou jogarem vídeo-games, ou ver filmes pesados, pra mim, isso são válvulas de escape que muitas vezes permitem as pessoas esquecerem um pouco de seus problemas, e perceberem que elas não estão sozinhas no mundo, infelizmente, nem sempre funciona, não acho que alguém se matou por ouvir uma música lhe mandando fazê-lo, acho que as pessoas se matam porque possuem problemas psicológicos sérios que deveriam ser tratados, acho que as pessoas se matam porque não acreditam mais ter nada nesse mundo que lhes prenda, e acima de tudo, acho que as pessoas se matam porque não querem mais viver, isso pode parecer obvio, mas não o é, as pessoas se matam porque elas querem, e não porque uma musica lhes disse que deveriam fazê-lo, mas… Como sempre…

Essa é apenas a opinião de Mr. Pink

Comentários

Comentários!