Hesher – Juventude em Fúria

Assisti esse filme recentemente graças a opção de “Self-Service” que minha incompetente amada operadora de TV a cabo me cobra os olhos da cara oferece nos seus pacotes de oferta. Estava sem o que assistir e era mó rolê pegar pra ver Breaking Bad. Ninguém me falou dessa mais nova obra então resolvi…enfim.

Metall..sher

Metall..sher

Conheça Hesher.

Who's Hesher?

Who’s Hesher?

Joseph Gordon-Levitt, quase irreconhecível.

Joseph Gordon-Levitt, quase irreconhecível.

Interpretado pelo mais novo amado boy magia de Hollywood, Joseph Gordon-Levitt, esse personagem, que dá nome ao título, é um metaleiro headbanger que não dá uma foda pra nada e fala o que quer, faz o que quer, sem papas na língua ou freio na consciência. Cheio de tatugagens e um físico sarado, Hesher está quase sempre sem camisa ou com roupas rasgadas. Um verdadeiro Metaleirozinho que dá orgulho ao Papai Metal.

Hardcore

Hardcore

vlcsnap00006gj image0011

Falando um pouco sobre o ator: Joseph conseguiu se destacar bem nesse papel, depois de ter feito vários papéis importantes em filmes como Batman: Dark Knight RIses, Looper, e outros que vocês podem comentar, mas mostrou nesse filme que tem o que precisa para não ser visto sempre como boyzinho mimado e patricinho com seu corte de cabelo playmobil.

É uma bela duma diferença.

É uma bela duma diferença.

Seu passado é misterioso e inexplicado(do Hesher, não do Joseph), tudo que se sabe é que ele é algum tipo de errante.

No papel (creio eu) principal do filme, temos o garoto, interpretado pelo Devin Brochu, o “Kid”. Sério, não lembro do nome dele e realmente não importa, se falarem “Kid”, é ele. Mas quem quiser saber, nome dele é T.J.

E aqui na figura temos o nome completo dele.

E aqui na figura temos o nome completo dele.

Ele fez uns papéis pequenos que, sinceramente, nem me dei o trabalho de pesquisar. Acho que esse é o primeiro grande papel dele e se eu estiver errado, atirem as pedras.

T.J. é o garoto ao redor do qual a história se desenrola. Após perder a mãe num acidente de carro, ele fica meio triste (num brinca!) e faz de tudo para conseguir a carcaça destruída do carro da família onde sua mãe morreu para tê-la para sempre. Sofre bullying na escola e não tem amigos, encontra alguém a quem amar e confiar na Nicole, interpretada pela nossa amada e cheia de desenvoltura,  Natalie Portman.

Seria amor se não fosse pedofilia.

Seria amor se não fosse pedofilia.

aaah Nicole.

aaah Nicole.

Acho que não precisamos explicar muito o currículo da Padmé, de Star Wars, bailarina do Cisne Negro e amante do V de Vingança, mas pra quem quiser saber mais da  Natalie Portman, fica aí a dica.

Ela é uma típica garota perdida na vida com ideia nenhuma do que fazer e ninguém para apoiá-la, que trabalha num supermercado e tem auto-estima da altura de um pé de alface.

Misinformation também é agro-pecuária!

Misinformation também é agro-pecuária!

Mas e daí? Vamos ao filme. Esse filme é uma comédia-negra, um drama hilário, com situações que você não sabe se realmente deveria estar rindo e tem quase certeza de que vai pro inferno depois de todas essas risadas. Esse filme…. é…. sei lá, estranho. Enquanto você assiste, você tem essa sensação estranha. Quando ele acaba, você sente que aprendeu algo…. mas não sabe ao certo o que. As lições de vida que o Hesher nos ensina são deveras valiosas e profundas.

  (foi mal galera, não achei nada legendado/dublado. Também não pesquisei com muito afinco)

Dando uma traduzida rápida:

Uma vez, eu estava com quatro mina bêbadas pra ca@$#!% na parte de trás da van, e nós estávamos transando e eu tava com uma mão na teta de uma menina, minha outra mão na xoxota desta outra garota, mas tinha tipo, ainda outras duas minas que queriam gozar assim como eu tava tipo com meu pé esfregando no c* de uma menina enquanto eu estou tentando comer a outra garota, e eu estava indo louco. Eu não conseguia descobrir qual garota que era e eu estou fazendo uma menina gozar, mas aí estou esquecendo das outras e minha língua está doendo e meus dedos estão ficando cansados ​​e eventualmente, eu falei ‘Foda-se isso. Isso é demais ‘e eu só saio fora. E antes você se desse conta, essas meninas são todas se pegando, sabe. Eles estão tocando uma à outro e comendo umas à outros, sabe, e fiquei lá me masturbando e todos saíram vencedores, saca?

E cara… na moral, essa história faz você repensar sua vida inteira, como às vezes você se esforça tanto pra fazer tudo certo e agradar aos outros e percebe que na verdade você devia estar fazendo o seu e os outros que se virem. E todos saem vencedores. Assim, são 4 xoxotas molhadas que você renega, mas todos se divertem. Voltando pro lado menos impróprio do filme não tem um lado assim, mas blz;

Legal, me conta mais de quão "impróprio" é esse filme

Legal, me conta mais de quão “impróprio” é esse filme

O mais legal desse filme, é que enquanto todos levam sua vida “normal”, onde o pai do garoto está constantemente dopado para superar a perda da esposa, a vó que mora com eles tenta ajudar todos e fazer tudo certo e o garoto tenta recuperar o que restou da mãe, enquanto todos levam o que seria uma vida normal, o nosso maluco Hesher é o único que parece são, que releva os problemas, segue em frente com a vida enquanto os outros continuam batendo com a cabeça na parede achando que estão conseguindo mudar algo. Isso, foi o que achei mais legal, quem é socialmente são parece insano e o único louco na casa é o cara que parece que está fazendo tudo certo.

Insanity is doing the same shit, over and over again, expecting things to change.

Insanity is doing the same shit, over and over again, expecting things to change.

Depois desse merchan gratuito, o que mais tenho para falar do filme? Dirigido por Spencer Susser e produzido também pela Nicole (Natalie Portman) o filme saiu em 2010 num festival em Sundance e foi lançado nos EUA em 2011. Ah é, Metallica.

Não sei ao certo o porquê da influencia de Metallica. Também não pesquisei, mas além do logo, o filme conta com diversas músicas do início da banda, contando com a minha favorita do conjunto, Motorbreath. Tem uma parte que toca até Teenager in Love do Red Hot Chili Peppers, uma B-side do grupo, que também curto(a banda, suas obras e essa B-Side em específico). O longa conta também com outras músicas, de Metal \../, e incrivelmente não há trilhas de fundo constantes, tipo em todas as cenas. As músicas tocam no rádio do carro de alguém ou em momentos sem palavras, mas dificilmente(talvez nunca) de fundo.

Um filme bizarro, engraçado e completamente Fucked Up que te faz repensar muita coisa sem saber ao certo o quê, essa obra te deixa com um rombo na cabeça e te chuta no saco com uma voadora nos dentes. Talvez seja daquelas ideias que te fazem lembrar que decisões são importantes e que você deve ter uma posição em relação a você e f*%@-se o mundo, faça o que você quiser, diga o que você quiser, contanto que ao menos você saiba o que está fazendo. Claro, isso não vale para casos como entrar com um rifle de assalto no cinema e descer bala. Tenha juízo né djow.

Pô fera, óia as m&#*a que tu vai fazer.

Pô fera, óia as m&#*a que tu vai fazer.

Por fim, esse é um filme que merece ser assistido. Talvez algumas mulheres não gostem e alguns caras que têm namoradas de fachadas achem desnecessário, mas com toda certeza quem assisitir vai ao menos dizer que valeu o dinheiro do ingresso. Eu achei incrível.

Curiosamente, Hesher é o nome de um EP lançado em 1996 pela banda Nickleback.

Comentários

Comentários!