Isso é Chutambô

Semana passada não tivemos o desinforme-se aqui, e pelo jeito, não o teremos essa semana também.

Ao invés disso eu trago a vocês, um compilado de uma série de videos que a muito estamos kibando.

100% Jesus! Isso é Chutambô!

O homem é o Tubarão do homem!

O homem é o Tubarão do homem!

Tudo começou em alguma região perdida do centro-externo brasileiro, onde o mestre Sousa Mansur (também conhecido pelas alcunhas de “Louco do Saco”, “MS Barney”, “João Carvalho” e “O homem que vai devolver a AIDS aos macacos”) foi entrevistado pelo próprio site do qual faz parte:

Satirismo.org

Nessa entrevista descobrimos as origens do Chutambô, de quando o homem ainda era tubarão, de como encher uma lata de arroz de arroz, e colocá-la na sua dispensa.

Ele explica detalhadamente o funcionamento da arte, e a metodologia da luta, todo ataque é um ataque, toda defesa é um vacilo, além disso ele funciona com dois órgãos auto-excludentes, a canela e a têmpora.

Além do mestre Sousa Mansur, vemos seu maior aluno, o Acreano Dingo-dingo, que encerra com uma das mais belas parábolas que já ouvi, o chutambô não é só uma luta, é uma arte, a arte de encher as ruas de sangue, após isso, foram encontradas algumas das VHS’s de treinamento dessa arte:

Gravadas pelo brilhante Reginaldo a primeira VHS nos mostra um pouco da teoria do Chutambô, os movimentos mais básicos e essenciais, e suas limitações:

“O Chutambô ele é pensado pra ser lutado contra pessoas canhotas, se o seu oponente é destro a luta acabou, você perdeu!”

A Segunda VHS é mais pratica, a luta começa, é o baile da morte, dois tubarões se enfrentam, o sangue pingou no oceano, hoje tem morte na cadeia.

Com um pouco de treino você já é capaz de erguer uma barra de sete mil quilos, algo com mais de duas vezes a força de seu próprio corpo, e com o avanço nos estudos você pode erguer até vários bois.

“Chutambô não é esporte do corpo, ele é esporte da mente!”

Na terceira VHS aprendemos a técnica mais avançada do Chutambô, o teleporte, usando uma urna maia tão pesada quanto a América do sul, através da técnica Sousa Mansur quase destrói toda a América latina, essa técnica precisa de três aulas ao menos para ser aprendida, por isso ela é enviada na VHS 3.

“Bom dia flor do dia!”

Na quarta VHS, o Acreano Dingo-dingo demonstra a técnica aprendida no ultimo vídeo, o teleporte de materiais, vemos o perigo na situação, a possibilidade dele voltar no tempo ou virar doutor, caso algo de errado, por tal motivo, ao invés de uma urna, ele teleporta uma sacola.

“Tirar nossas crianças de trás das grades, isso é chutambô!”

Na quinta VHS, o mestre Mansur nos mostra a “Chave de cotovelo no quadril” e a lendária “Encochada de Mossoró”, que consiste em criar uma distração para distrair o inimigo distraído, e uma vez que funcione você da uma volta de 360º completa ao redor do oponente, lhe dando a chave de quadril.

“Ta filmando Reginaldo?”

Na sexta VHS, começa o baile da morte, um tubarão sabe que é na mandíbula que se foca seu poder primitivo, por isso quando um tubarão recebe barbatanadas de outro, ele não entende o que esta acontecendo.

Nele é mencionado o “Sopapo do Tubarão” que consiste num golpe rápido e imperceptível, quando o oponente pensa que está levando um golpe, ele já levou dois.

“E nunca se esqueça meu filho! Trato é trato, puta é puta e viado é só que dá a bunda e gosta, porque quem dá só por vicio é bi e quem come não pega leite de soja ácido.”

Esta é aparentemente a ultima VHS, nos é ensinado o “Sopapo do Tubarão”, nos é dito que Chutambô é família, vemos esse lado mais humano de Sousa Mansur, quase como um preludio do fim, descobrimos que o cotovelo é uma arma poderosa, e após o encerramento costumeiro, vemos um pouco da história dos sábios guerreiros que nos ensinaram essa valiosa arte.

Some times i remenber de roulinthings.

Içu e Xutambô

Içu e Xutambô

Piadas a parte, a série de videos sobre chutambô do satirismo é uma amostra clássica de humor non-sense, a completa idiotice dos personagens, e a falta de sentido nos diálogos parodiando as cenas de VHS antigas, com trechos de gravações de desenhos e séries antigas em uma locação mal arranjada, dão as pessoas que já usaram VHS essa lembrança quase nostálgica, hoje em dia quase uma piada interna.

O humor é escrachado, e escroto propositalmente, quem já conhece os outros videos do Satirismo entenderá melhor esse tipo de humor, que parece ser simplesmente retardado, e que de fato o é, porém não como um acidente, ele propositalmente consegue encontrar o ponto da piada na idiotice das situações, a ponto de fazer parecer todo o teatro suficientemente crível para que você o aceite como possível.

E só pra encerrar… Mestre Mansur, aguardo meu diploma pelo correio e-mail!

Comentários

Comentários!