Os filmes mais perturbadores de todos os tempos – Parte 2

Bom dia, boa tarde, mas espero que na verdade esteja lendo isso numa boa noite, pois começa agora o artigo dos filmes mais perturbadores de todos os tempos – Parte 2, para continuar o nosso post de mais sucesso, eu e Butch dividiremos esse pequeno/grande espaço e para isso, eu vou escrever na típica fonte preta masculina e ele ira escrever nessa fonte azul celeste de gay recalcado

Planejamos lançar esse artigo no dia das bruxas (como já perceberam falhamos miseravelmente), mas sei lá se é isso o que vai rolar, então, até lá, temos muito o que fazer para conseguir que o Tyler chore!

Tyler está com medo!

Tyler está com medo!

Para todos que adoraram, pediram e imploraram por uma segunda parte estamos aqui para encher a cabeça de vocês de boas ideias de filmes para se ver nesse dia das bruxas, pegue a pipoca e chame sua namorada porque eu sei que ela vai adorar.

Ah, mas antes de começar, é bom lembrar:

Spoiler Alert!

Spoiler Alert!

Esse artigo contém spoilers.

Psicopata Americano

Você já viu esse meme que eu sei

Você já viu esse meme que eu sei

Quem aqui já leu esse livro?

Bom, eu e o Tyler lemos (Ele me emprestou na verdade), e devo alertar que a maior parte das lágrimas que mancharam as páginas do livro foram do próprio Tyler, e não minhas.

Psicopata Americano fala sobre Patrick Bateman (Interpretado por Batman Cristian Bale), um ricaço de Wall Street, que faz academia e tem um fraco por drogas, como boa parte de seus amigos, mas o que o difere dos demais é seu instinto assassino quase incontrolável.

O filme é ótimo, mas se comparado ao livro ele é bem leve, acredite ou não, a violência gráfica do filme lhe da muitas menos imagens perturbadoras do que a descrita no livro.

Acho genial o final do filme que termina em um anticlímax, onde o protagonista afirma:

- Minha punição continua a me evitar, e eu não ganho nenhum conhecimento profundo de mim mesmo, essa confissão, não tem significado nenhum!

Ele demonstra bem a motivação do personagem e a forma como ele trata o mundo como se não estivesse nele, o filme é bem psicológico, mas eu o vejo quase como um complemento do livro, algumas coisas que acontecem eu só entendi por causa do livro, e o filme todo é muito corrido, parece que tiveram que espremer todo o conteúdo em uma hora e meia, mas o fizeram da melhor forma possível sem sombra de duvida.

O filme vale a pena, e se gostar dele, não perca tempo e vá ler o livro, assim você vai ter toda a dimensão da simplicidade com a qual ele descreve um assassinato, tão detalhado e simples, como uma troca de roupa…

Butch?

Begotten

Begotten

Begotten

Comecei bem hein Pink

Esse é daqueles filmes que não é pra qualquer um inclusive eu e olha que eu já vi muita coisa, é eu to falando sério não assista, é uma experiência estranha, o filme trata basicamente de religião mas como o próprio Merhige disse a inspiração veio de uma experiencia de quase morte que ele teve aos 19 anos.

O filme é difícil de ser assistido, muito cansativo, não tem nenhum diálogo somente imagens de dor e sofrimento, além do que foi todo gravado em preto e branco e depois ainda foi refotografado dando o aspecto sombrio que vocês podem ver na imagem acima, a história não é bem definida o que dá espaço para diferentes interpretações. Mas basicamente trata sobre o fim do mundo, um mundo onde Deus tirou a própria vida e não existe mais nada além de sofrimento.

Pink o que tu acha disso?

Videodrome – A síndrome do vídeo!

A síndrome do vídeo!

A síndrome do vídeo!

Outro filme sobre Snuff Films, ou mais ou menos, quase isso…

Esse filme é uma produção extremamente non-sense, onde o protagonista Max Renn trabalha numa pequena emissora de TV chamada CIVIC-TV, que usa um satélite pirata pra poder exibir o conteúdo que quiser sem pagar por isso, mas como consequência consegue passar apenas filmes pornô e de baixo orçamento, até que seu amigo e funcionário Harlan, lhe entrega uma fita com um programa chamado Vídeodrome, um filme que parece conter cenas de mortes reais, que logo Max acredita serem forjadas.

Achando que a exibição de falsos snuffs lhe daria a fama que tanto procurava ele passa a assistir os vídeos, porém eles contém mais do que só cenas de brutalidade, conforme você os assiste você começa a perde lentamente a sua sanidade, é ai que as coisas se tornam um pouco confusas, é mencionado que o videodrome fornece aos espectadores a capacidade de manipular a realidade até criar tumores no cérebro da pessoa a matando, nesse momento o filme deixa de fazer qualquer sentido prático, tudo indica que a realidade está de fato mudando, mas você pode assumir que sejam apenas alucinações mais intensas do personagem.

O filme é um pouco sujo, e se foca muito mais na insanidade das cenas que nos snuffs em si, ele passa a ideia de uma grande conspiração, ele encontra O’Blivion, um cientista que só se apresenta por vídeo e vai até a mansão dele onde conhece sua filha, durante o filme descobrimos que O’Blivion foi influenciado pelo videodrome como Max e está morto, e sua filha usa gravações suas para que as pessoas acreditem que ele ainda esteja vivo, além disso, ela usa suas pesquisas para combater o videodrome, ela reprograma Max (que havia sido programado com uma fita para matá-la (pois é… Lembra o que eu falei sobre bizarrice?)) e o faz atacar o videodrome, ao final do filme antes de se suicidar Max fala:

- Long live the new flesh! (Vida longa a nova carne!)

E ai Butch? Vai virar vegetariano?

Jamais senhor Pink

Irréversible

Então fia, vai regular essa mixaria

Então fia, vai regular essa mixaria

Um estupro de 11 minutos e uma cabeça esmagada por um extintor, tá bom pra vocês?

Irréversible ou Irreversível conta uma história de vingança, o filme é narrado de trás pra frente e conta a história de dois irmãos que vão pelo submundo de Paris procurando o estuprador da namorada de um deles para se vingarem.

Lançado em 2002 foi considerado o filme mais perturbador daquele ano principalmente por causa da cena de estupro, e eu não to falando de uma ceninha qualquer ao estilo de filme Hollywoodiano to falando de uma cena graficamente explicita.

Os sentidos de quem assiste vai de extremos do nojo ao ódio. A ideia do filme foi causar o máximo de desconforto possível, por conta disso Noé (o diretor) tomou a liberdade de começar as filmagens com um roteiro de apenas três páginas, dando a máxima liberdade do improviso aos atores. Os diálogos informais dão a ideia de naturalidade algo bem próximo da vida real, além disso, o diretor preferiu filmar com um equipamento mais leve não com as grandes câmeras profissionais para ter liberdade para filmar em locações reais, com a câmera na mão e criar grandes blocos narrativos sem cortes.

Atrocidades

É tipo Faces da Morte, só que do Japão!

É tipo Faces da Morte, só que do Japão!

“Já assistiram Faces da Morte? Minha filha teve que ver pra faculdade!” MEDICINA, Tia do amigo do Mr Pink cuja filha faz

Bem, em um belo dia de outono enquanto procurava pelo filme faces da morte na locadora, ao não encontrar o atendente comenta que esse filme era igual, só que do Japão, e o filme é basicamente isso, cenas de vitimas de assassinatos, suicidas e até uma cena de autópsia.

Sem história é basicamente um documentário com cenas de violência humana e seus resultados, se você é um apreciador de filmes como faces da morte essa é uma boa pedida pra você!

Falei pouco aqui Butch, então vou fazer mais um!

Henry, Retrato de um Assassino

Henry Lee Lucas

Henry Lee Lucas

Henry é um filme baseada na vida do prolífico serial killer, Henry Lee Lucas, Henry era um psicopata clássico com infância traumática, confessou cerca de 600 assassinatos, muitos dos quais hoje se acredita que não participou.

O filme é bem ambientado, porém não se prende aos casos reais, apesar do envolvimento de Henry com Ottis Toole ser demonstrado, não fica claro o real teor do relacionamento dos dois (Ambos bissexuais), Henry no filme tem um relacionamento com a irmã de Toole (Que é baseada em Frieda Powell sobrinha de Toole, com quem Henry realmente se envolveu).

Apesar disso o filme é bom, ele demonstra bem a forma como o assassino agia e pensava, a forma controversa como se referia a própria mãe, porém, ele não se preocupa tanto com a precisão histórica como já mencionei, o final do filme mostra Henry assassinando Toole para salvar Frieda, porém na realidade Henry abandonou Toole e após algum tempo fez de Frieda uma de suas ultimas vitimas.

O filme termina ai, mas vale lembrar que apesar de capturado e preso Lucas nunca foi executado por seus crimes, pelo contrario, foi fundada a Lucas Task Force, uma agencia criada para tentar resolver os crimes aos quais ele poderia estar ligado, ele afirmou não ter cometido boa parte dos crimes que confessou, por outro lado, é dito que ele dificilmente usava algemas e era sempre levado por policiais a cafés e restaurantes, ele acabou morrendo em 2001 de ataque cardíaco.

E ai Butch? E você achando que só tinha impunidade no Brasil!

Cadáveres

unrest31280
Então Pink, você me encheu o saco pra falar desse filme, então aqui estamos com Cadáveres.


O filme fala de alguns estudantes de medicina em um necrotério, onde uma delas começa a ter visões terríveis e assustadoras, ela tenta ser cética quanto a isso, mas quando um de seus colegas morre a coisa começa a ficar realmente estranha.

Bom, a polêmica desse filme vem do fato de que ele foi filmado realmente em um necrotério, e foram usados corpos reais para as cenas então você já deve conseguir imaginar o quão tenso foi né rapa?

É tipo um snuff movie. Snuffs por definição tem que ter a cena do assassinato Butch.

E ai Pink? Aterrorizado já?

Invocação do Mal

invocac3a7c3a3o-do-mal-poster-divulgac3a7c3a3o

Então gente, o que dizer desse filme?

Ele me fez perceber que eu sou uma pessoa horrível, afinal eu o assisti no cinema e ri do começo ao fim do filme… É sério.

Invocação do mal fala da mudança da família Perron, que vai para uma cidade do interior dos Estados Unidos, onde eles não sabem, mas existe um tipo de maldição envolvendo o suicídio de uma bruxa na casa, que exige um exorcismo de todo o local, a situação é acompanhada pelo casal Lorraine (uma médium clarividente) e Ed Warren (O único demonologista não-ordenado reconhecido pela igreja Católica), até que o caso sai de controle e eles são obrigados a realizar o exorcismo.

Bem, apesar do filme não ter me assustado, eu notei que afetou muito algumas colegas com quem fui ver o filme (Exceto por uma que passou a maior parte do filme rindo comigo), a única falha que me vem a mente é o sub-plot de uma boneca possuída que é apresentado no começo do filme e que de alguma forma realiza uma aparição na casa dos Warren, o filme não deixa muito claro se o que houve foi relacionado a boneca, ou se foi algo realizado pelo espírito na casa da família Perron, e isso acaba sendo ignorado posteriormente a isso.

O filme em si é bom, bem construido, e alega-se que é baseado num caso de exorcismo real, eu de fato não fui pesquisar sobre isso, mas de forma geral ele funciona bem.

E ai Butch? Que achou?

Acho que vamos acabar tendo uma parte 3 ainda! Acompanhe nosso blog pelo Facebook curtindo aqui em baixo, aqui mesmo… Assim você recebe os posts mais recentes na sua feed e algumas coisas que a gente só posta lá, e quem quiser acompanhar pelo Twitter sigam-me no @CoolButch o Pink no @ProMrPink e o @Misinforme_se, curta nossa Página no Facebook pra saber das novidades! Que por sinal só eu posto. E vá assistir um filminho!

Boa noite!

Comentários

Comentários!