Original – Não me abrace, estou com medo 4

Esse artigo foi publicado originalmente em Abril de 2015, mas devido a um incidente envolvendo uma cabra e um pé de Jacarandá, ele precisou ser republicado, antes de conseguir recuperar esse artigo outro havia sido reescrito com o mesmo nome sobre o mesmo tema.

Aqui vamos nós de novo senhores!

Vamos lá, espero que já tenha visto o vídeo, se não tiver visto, então veja, por que agora vou analisar ele por inteiro como fiz com os três vídeos anteriores… E cuidado, porque sua cabeça vai explodir!

E se ainda não viu os outros vídeos, ai estão:

Primeiro vídeo
Segundo vídeo
Kickstarter
Terceiro vídeo

Comecemos com o começo Ah vá!

Olha eles aqui de novo!

Olha eles aqui de novo!

O vídeo começa com os bonecos em uma mesa jogando um jogo, olhe atentamente para o cenário, verá na parede uma foto com o boneco amarelo e seu pai, e no fundo uma estatueta de Malcolm, o Rei do Amor do terceiro filme, além disso ainda é 19 de julho como em todos os vídeos, note que o desenho no tapete parece o de um olho, durante o vídeo você vai perceber que quase tudo parece que está olhando pros personagens.

Parece que é minha vez de ser o foco do vídeo.

Parece que é minha vez de ser o foco do vídeo.

Podemos ver no fundo algumas das imagens que apareceram no cenário do primeiro vídeo como o boné, o que se parece ser uma pequena televisão vermelha.

Carta.

Carta.

Preste atenção que o tabuleiro tem o que parecem ser olhos nos cantos, tem dois bonecos cada um com um olho também, uma lupa no titulo do jogo Quetions Fun e uma tigela de aveia, a pergunta que ele tira é:

“Qual é a maior coisa do mundo?”

A maior coisa do mundo?

A maior coisa do mundo?

Poupe-me das piadas sexuais Talvez a internet? Nesse momento conseguimos ver a mensagem de desaparecidos dos bonecos na caixa de leite, no fundo também vemos Malcolm, o Rei do Amor e a data 19 de julho novamente.

Sei lá…

Sei lá…

Os bonecos não sabem qual a maior coisa do mundo, então dizem:

“Se ao menos houvesse uma forma de saber mais sobre o mundo!”

E todos olham para o lado onde conseguem ver um globo terrestre:

Globo.

Globo.

Acima do globo tem a frase “Get Creative” do primeiro vídeo, o globo não faz nada os bonecos se perguntam novamente e a imagem volta para o globo.

E ai!

Gilbert.

Gilbert.

O boneco amarelo diz:

“Hey, olha!”

No entanto!

Eu sou um computador!

Eu sou um computador!

Bom, vamos explicar essa piada, antes do lançamento do vídeo, uma das criadoras, Becky, postou em seu Instagram uma imagem do globo dizendo: “Este é Gilbert, o globo“, a imagem foi em seguida colocada na página da série no Kickstarter, e muitos fãs acreditaram que ele seria o professor, no entanto, eis que ele é interrompido por Colin, o computador (nome revelado por Becky em seu Twitter).

O computador então começa a cantar para os bonecos, ele diz que dentro de sua mente, tem uma mente digital.

Carne crua???

Carne crua???

É… Estranho…

Bem estranho...

Bem estranho…

Como de costume…

Contando até cinquenta.

Contando até cinquenta.

Vemos um quadro com trinta casas enquanto o Computador se diz inteligente, e diz ser capaz de contar até cinquenta, não há nenhuma padronização nos números, e os números as colunas do meio da penúltima linha mostram 19/06/55, a data cabalística que vemos no segundo vídeo e na campanha do Kickstarter, reparem também nos olhos do computador, são iguais aos olhos que já apareceram antes no vídeo.

Olhos e aveia.

Olhos e aveia.

A impressora também está te olhando enquanto imprime uma imagem do que parece ser uma propaganda de aveia.

Tempo…

Tempo…

De novo 19/06, e a imagem de um relógio, quando o computador menciona a palavra “Tempo” o boneco verde repete ela, o que remete ao segundo vídeo da série.

Lupa.

Lupa.

O Computador então usa uma lupa para mostrar aos bonecos algo que eles não veriam sem sua ajuda.

Estão vendo?

Aveia.

Bem, duas coisas podem ser ditas sobre isso.

No primeiro vídeo o Bloco de Notas também usou uma lupa para que os bonecos vissem o que ela queria que eles vissem:

Estão vendo?

Estão vendo?

A outra é que o vídeo trata sobre a internet. Ah vá [2].

Essa constante propaganda da Aveia que nos é mostrada é uma referencia a forma como as propagandas nos perseguem na Internet, diversos mecanismos como tracking cookies são usados com a intenção de descobrir os interesses de um usuário e então criar propaganda focalizada o compelindo a comprar um determinado produto, por isso, uma vez que os personagens estão comendo aveia no começo do vídeo todo o resto do vídeo fará propaganda de aveia.

Outro computador.

Outro computador.

Em um momento o boneco vermelho diz que eles já tem um computador, mas Colin ignora e continua cantando, durante todo o vídeo e a canção duas coisas se fazem ser notadas, uma delas é que Colin possui vários lags, ele demora muito para falar algumas coisas, sua voz digitalizada as vezes se repete em algumas silabas dando a impressão de uma conexão ruim, outra é que ele ignora veementemente qualquer coisa que o boneco vermelho diz, mas o motivo disso ficará mais claro.

Redes sociais.

Redes sociais.

O computador então começa a fazer perguntas para os personagens, seus nomes, onde moram, o que eles gostam de comer (mostrando novamente um pote de aveia), entre outras coisas, é um exemplo da exposição em mídias sociais, as pessoas se expõem demais, colocam suas vidas inteiras na internet revelando cada aspecto delas.

Cor favorita.

Cor favorita.

Ele pergunta as cores favoritas dos bonecos indicando três cores, azul é a cor favorita do boneco vermelho, e vermelho é a cor favorita do boneco verde, como vimos no primeiro vídeo, a cor favorita do boneco amarelo era verde, porém verde não é uma cor criativa!

Ele continua ignorando o boneco vermelho, até que este bate no teclado, o Computador então grita.

Não me toque!

Não me toque!

E a tela fica escura.

Glitch.

Glitchs.

Glitchs.

Glitchs.

Glitchs.

Glitchs.

Mais glitchs.

Mais glitchs.

Gilbert, the glitch.

Gilbert, the glitch.

Mundo digital.

Mundo digital.

De repente os bonecos se vêm no mundo digital, note o relógio no canto direito da imagem, uma referencia a Tony, o relógio do segundo vídeo.

Wow!

Wow!

A câmera gira três vezes ao redor do boneco vermelho, como se tivesse algum problema na internet.

Como?

Como?

O boneco amarelo então diz que não entende como eles podem estar sentados em casa e ao mesmo tempo estarem na tela do computador, notem os olhos no tapete novamente.

Você não é você!

Você não é você!

O computador explica que aquele não é o boneco de verdade.

Versão digital.

Versão digital.

Que é apenas uma versão digital controlada por sua versão real, o que nos mostra como as pessoas esquecem a diferença entre vida real e digital.

O que nós podemos fazer?

O que nós podemos fazer?

O boneco vermelho então pergunta o que se pode fazer nesse mundo digital, vemos novamente Gilbert, o globo, vemos também o desenho do palhaço do primeiro vídeo, o Computador não responde imediatamente, só quando o boneco vermelho refaz a pergunta, ele diz que tem três coisas que podem ser feitas no mundo digital:

Três coisas.

Três coisas.

Grafico de pizza.

Grafico de pizza.

A primeira coisa é uma referencia a procura por informações e estatísticas reais, estudo e trabalhos.

Estilo digital.

Estilo digital.

A segunda é uma referencia as coisas que colocamos sobre nós na internet, apenas o melhor de nós, as melhores fotos, as melhores frases, nada real, apenas uma versão mais estilosa e descolada de nós mesmos.

Diversão.

Diversão.

A terceira coisa é diversão, entretenimento de forma geral, jogos, músicas, vídeos.

Grafico de linhas.

Grafico de linhas.

As portas são mostradas novamente, e novamente, passando a mesma ideia.

Estilo digital.

Estilo digital.

Fora da tela.

Fora da tela.

Do lado de fora do computador o boneco vermelho parece meio assustado.

Hey, olha! Nada.

Hey, olha! Nada.

O que eram informações úteis e reais, se tornam nada, informações falsas ou irrelevantes tomam seu lugar rapidamente se não tomarmos cuidado.

Nada.

Nada.

Estilo digital.

Estilo digital.

O estilo também começa a ter problemas, não podemos mentir sobre nós mesmos pra sempre!

Dança digital

Dança digital.

E a diversão online começa a se tornar deformada também, começamos a nos perder do que realmente é importante.

O desenho.

O desenho.

Novamente o desenho do palhaço feito no primeiro vídeo.

Estilo Digital.

Estilo Digital.

O boneco verde esta deformado.

Aveia.

Aveia.

E a propaganda de aveia esta se divertindo.

Glitch.

Glitch.

Fora do computador o boneco vermelho tenta cancelar, ele não quer mais isso, em um frame conseguimos ver seus amigos deformados ligados e presos ao computador, também no fundo dessa cena conseguimos ver o pai do boneco amarelo escondido na sombras no canto direito (no segundo vídeo o boneco amarelo diz: “Meu pai é um computador”).

Cabo de força.

Cabo de força.

O boneco então nota o cabo de força e decide que vai desligá-lo, ele começa a seguir o cabo.

Presos.

Presos.

As formas digitais estão deformadas e presas ao computador, cabos os ligam ao mesmo, os impedindo de sair.

Saindo.

Saindo.

O boneco vermelho segue o cabo de força do computador.

Porta.

Porta.

Não há ninguém com ele na verdade, todos estavam no computador, ele estava sozinho, e ele não quer mais aquilo, ele quer sair, se libertar, ele abre a porta e vê o mundo real.

Mundo Real.

Mundo Real.

E este é o mundo real!

A série, desde o primeiro vídeo é uma critica a mídia, sobretudo uma critica a mídia infantil, a forma como as crianças são ensinadas, e aqui é o set de filmagem de Don’t hug me I’m scared, ele houve as palavras:

“Eu vou pintar o desenho de um palhaço”, frase do primeiro vídeo.

“Meu pai é um computador”, frase do segundo vídeo.

“Você não foi convidado pra festa”.

Cenário.

Cenário.

Esta é a realidade, o boneco amarelo é realmente um boneco com um gravador anexado nele, o boneco verde é de fato uma ave, e o boneco vermelho é um esfregão, e o que parece ser o professor é uma caixa de aveia.

A maioria dos programas infantis são isso, bonecos e figuras ridículas com o objetivo de vender produtos sendo manipulados por cordas e pessoas escondidas, cenários mal feitos, roteiros sem sentido.

Tem um relógio na parede e o calendário marca 19 de junho como sempre.

O mundo real não e tão glorioso como a internet onde podemos fingir ser qualquer coisa, aqui as coisas são sujas, cruas, mal feitas.

…

O cabo de força leva até a câmera, o boneco está sendo observado, sua vida inteira está sendo compartilhada na internet, o que faz sentido visto que o vídeo foi feito para a internet, se o tema central é a internet, faz sentido mostrar que é de fato apenas um vídeo para internet.

Corta.

Corta.

A cena é cortada e…

MIND BLOWN!

MIND BLOWN!

Já ouviram aquela expressão “Sua cabeça vai explodir”, só que de forma mais literal!

Pois é gente, este é o quarto vídeo da série da qual eu sou um grande fã, gostei mais do que o terceiro, mas ainda acho o segundo meu preferido seguido pelo primeiro vídeo.

Uma imagem que foi feita durante a campanha do kickstarter foi a seguinte:

A série.

A série.

Aparentemente a suposição de que as cores mostram quais personagens serão o foco nos vídeos seguintes estava correta, o terceiro vídeo teve foco no boneco amarelo, e o quarto no boneco vermelho, o que significa que provavelmente o próximo vídeo dará foco ao boneco verde.

Ficaremos no aguardo disso, independente de quanto tempo levar, sabem como é!

Essas coisas levam tempo!

Essas coisas levam tempo!

Adoro essa imagem!

Até mais galera!

Comentários

Comentários!