Fatos

Fatos garantidos pela ciência ou não

Boa noite amiguinhos, estou preparando esse post com sono e pronto para cair na cama, mas como não pude esperar mais para publicar e deixar o assunto esfriar, vou publicar algumas imagens da Comic Con Experience 2015 ou CCXP 2015, eu e o Pink fomos (em dias diferentes) e compilamos algumas imagens legais para vocês, se você se encontrar aqui manda um salve nos comentários.

 

Bom dia, boa tarde e boa noite.

Obviamente eu não vou ensinar vocês como viajar no tempo. A não ser que alguém volte no tempo enquanto você lê isso e me obrigue a escrever isso no post.

Existem infinitas formas de se viajar no tempo, umas baseadas em teorias reais e outras apenas na ficção. Antes de qualquer coisa, aí vão algumas regras básicas pra quem deseja viajar:

1) Não mate seu pai e nenhum de seus antepassados

Evite deixar que seu pai morra durante uma de suas viagens, isso também serve pra qualquer pessoa que ajudou na sua concepção: Amigos que apresentaram seus pais, avô e avó e até aquela caixinha de viagra que estava no porta-luvas do carro do seu pai em 19xx.

Observação: Caso você viaje no tempo através das dimensões, não vai existir problema em matar seu pai, a não ser que você esteja com dó do seu “eu” da outra dimensão.

2) Não utilize um DeLorean ou naves espaciais com aspecto de cabine telefônica:

Você deve optar por objetos de viagem no tempo portáteis como um Vira Tempo, assim você não corre o risco de ser percebido (quando não puder) e não depende de uma grande quantidade de espaço.

Vira Tempo

Vira Tempo

3) Não volte para momentos perigosos da história

Essa regra é um tanto quanto óbvia: Você pode se foder fortemente caso volte para lugares como:

  • Era dos dinossauros
  • Era do gelo
  • Holocausto (se você for um Judeu)
  • Hiroshima
  • Tribos canibais
  • Inquisição (se você for uma mulher canhota ou com cabelo pintado)

Bônus: Charada da internet do Peter sobre viagens no tempo

Um certo dia, um detetive famoso (vamos chamá-lo de Pink) recebeu a tarefa de encontrar uma coroa (objeto) muito valiosa que foi roubada de um museu.
Após algumas investigações, Pink descobriu que o ladrão usou uma máquina do tempo pra voltar até a época que a coroa foi construída e a vendeu para um joalheiro. Inteligente, Pink usou sua própria máquina do tempo para seguir o ladrão e recuperar a coroa.
Um tempo depois, quando Pink voltou para o tempo original de onde havia saído, descobriu que a coroa não havia sido roubada e pior: Ninguém sabia que ela existia.
Pink sabia que a coroa pertenceu ao Rei Butch IV que a recebeu de seu joalheiro. Não demorou muito para ele perceber que o ladrão teria intenção de vender a coroa para o joalheiro, que por sua vez, a daria para o rei, que daria para seus herdeiros que dariam para o museu onde o ladrão roubou. Foi aí que a coroa ficou presa no tempo.

Agora a questão: Se a coroa ficou presa no tempo: por quem e quando ela foi originalmente criada?

Essa charada/paradoxo foi encontrada em algum lugar da internet e foi publicada por uma revista de ficção científica que não consegui descobrir qual era.

Minhas digitais serão encontradas apenas na tradução e adaptação.

Com amor, Peter

Olá meus pequenos Sayajins, todos bem?

Talvez vocês não saibam, ou mesmo não se lembram, mas algum tempo atrás eu fiz um artigo sobre A Ciência de Cavaleiros do Zodíaco (posteriormente fiz o mesmo com Neon Genesis Evangelion) e o resultado foram uma série de agressões, ofensas, e o artigo mais visualizado do site!

Viva a polêmica! Entre as agressões, fui acusado de ser um fanboy de Dragon Ball, o que de fato sou um pouco, mas tolo é aquele que crê que Mr. Pink acha um limite para o humor nas coisas que ele gosta, por tanto eis que veio a ideia de falarmos de lógica de Dragon Ball, vamos lá?

Já pensou se eu fosse um alienígena? E essas esferas fossem criações de outro alienígena?

Já pensou se eu fosse um alienígena? E essas esferas fossem criações de outro alienígena?

Como vão sujeitos sem predicado? Mudando do bukakke da água pro vinho, depois de um artigo sobre o show da UDR, falemos de Rebecca Black!

O que falar desse ícone pós-moderno do eterno desalento? Bem, Rebecca começou seu sucesso com a icônica musica Friday!

Musica está que tem atualmente um dos maiores números de deslikes do Youtube, com mais de um milhão e duzentos mil, contra algo em torno de trezentos e vinte mil likes.