50 posts

Parabéns pra nós, desinforme-se em outro lugar 05, se invertermos os algarismos temos 50, de 50 postagens, então… Vamos fingir que esse desinforme-se em outro lugar é especial, então se você não viu ainda, vamos deixa o link aqui em cima, e la embaixo:

Cinquenta Posts Desinformátivos

Posso morrer em paz agora!!

Se tiver algum Narutard ai: Passado e Presente

Eu tenho pena do seu pai e do marido dele: Casamento gay em 71

A nova Rede-Social da moda: Facepopular

Lollipop…

Especial de 50 posts: Cinquenta Posts Desinformátivos

Punhos e Espada:

Cuidado!

Texto: Butch segundo Mr. Pink.

Eu subi na moto, e acelerei, eu me lembro de quando cortei aquele homem, eu salvei um homem que me adorava, e que depois me odiava, um homem que colocou minha cabeça a prêmio, e queria me matar, eu não esperava vê-lo nunca mais, e nem ele esperava me ver tão cedo, nós dois fomos pegos, e quase fomos mortos, eu já fui um policial duro de matar, já fui um boxeador de sucesso, e agora estou simplesmente correndo pra longe, ele não vai me matar, eu salvei a vida dele, mas ele não vai me perdoar, tenho que ir embora, pra longe, me desculpe Fabienne, mas vamos ter que nos mudar de novo, ela vai ter que entender, pelo menos eu consegui o relógio, o relógio do meu pai, o relógio que meu pai passou o inferno pra que eu tivesse, malditos vietcongs, malditos comunistas, eu sempre resolvi as coisas com meus punhos, mas punhos não são mais uteis, nem espadas, eu usei uma espada quase como um grito de libertação de um milhão de gerações que lutava com armas brancas, mas vivemos no mundo da pólvora, vivemos num mundo onde as armas são mais fortes que os punhos e as espadas, não importa o quanto você é bom, não importa o quanto você é forte, só importa quantas balas você consegue comprar, quantas armas você consegue contratar, é isso o que importa hoje, quanto dinheiro você pode dar para a industria bélica, é isso o que importa hoje em dia, esse é o mundo de hoje, o que mais existe nesse mundo além de lutas, as coisas eram mais fáceis antigamente, quando eu podia resolver as coisas com um soco, hoje se eu fizer isso posso acabar morto, eu só quero levar Fabienne para um lugar calmo e lindo, onde a grama é verde e as garotas bonitas, eu quero ir para a cidade do Paraíso, estou chegando… Melhor me concentrar na direção, é engraçado como as coisas são, a alguns minutos Zed estava bem, se sentindo um Deus, agora o Zed ta morto

Volte para o especial de 50 posts: Cinquenta Posts Desinformátivos

Coincidência:

Ou destino?

Texto: Tyler segundo Mr. Pink.

Toc, toc, toc, o relógio bate, as pessoas pensam, mas não falam, está tarde e os pássaros não cantam, eu não sou ninguém, sento de frente pra uma parede enquanto penso sobre as coisas que aconteceram no dia de hoje, joguei vídeo-game, algo da Konami, nem me lembro mais o que era, coincidentemente hoje completa um ano da minha saída da prisão, isso são três anos desde que eu matei aquele homem, são cinco anos desde que eu assisti aquele filme com o Jim Carey, qual era mesmo o nome? Aquele sobre as coincidências ao redor de um número qualquer, eu não me lembro qual era o número, fazem três messes, três dias e três horas que eu estou de volta a minha cidade natal, fazem quatro anos que eu frequentei meu primeiro grupo de apoio, sobre parasitas no cérebro, fazem dois messes que eu comprei meu ultimo vídeo-game, fazem duas horas que estou parado de frente pra parede fazendo alguns cálculos, na verdade isso é mentira, faz só uma hora e cinquenta minutos, nesse momento faltam exatamente dez minutos para a meia-noite, cinquenta minutos e um segundo, o tempo passa, fazem dois anos que eu esqueci o meu nome, fazem quinze anos que eu terminei a universidade, fazem cinco anos que eu sai da empresa da qual eu trabalhava após brigar com meu chefe, fazem dois minutos que eu comecei a pensar nisso, faz uma semana que eu voltei a pensar em auto-destruição, faz vinte anos que eu vi pela primeira vez o homem que eu matei a três anos, ou menos, faz dez segundos que ouvi a porta de meu quarto se abrir, faz um mês que eu voltei a ter insônia, foi quando eu percebi que todas as datas se encaixavam precisamente, com falha de horas, depois de minutos, fazem quarenta anos que meu pai conheceu minha mãe, fazem trinta e cinco anos que eu nasci, fazem trinta e quanto anos que meu pai foi embora, ele fazia isso exatamente a cada seis anos, fazem dez horas que não vejo ninguém, fazem vinte que não falo com ninguém, faz seis messes que não vejo a mulher que causou tudo isso, faltam dois minutos pra meia-noite, faz cinco minutos que ouvi a porta se abrir, faz dois segundos que me virei em direção a porta, faz duas horas que não como nada, faz dois dias que não tomo banho, faz mais de dois mil anos que Jesus morreu, faz cinquenta dias que não ando de carro, faz cinco segundos que não olho para o relógio, olho para o relógio, faltam dez segundos para a meia-noite, nove, oito, sete, seis, cinco, quatro, três, dois, um

- Olá Tyler.

- Sentiu saudades?

Volte para o especial de 50 posts: Cinquenta Posts Desinformátivos

Segue a entrevista com Tyler Durden feita pelo eficiente repórter Mr. Pink!

Entrevista com Tyler

Entrevista com Tyler

Mr. Pink: Bem, vamos começar a nossa entrevista com Tyler do Misinformation, bom dia Tyler, como vai você?

OFF: (fica mais pratico pra mim editar te chamando de Tyler)
OFF: (trankilis)

Tyler: Eu sinto como se tudo fosse uma cópia, de uma cópia de uma cópia, você não consegue diferenciar as coisas quando sofre de insônia.

Mr. Pink: Ah, você sobre de insônia? A quanto tempo?

Tyler: Eu já não sei direito, tudo parece distante, como se tivesse acontecido há muito tempo e nada medicinal resolve isso… Hum… O único jeito de contornar isso é me juntando com meus amigos no grupo de apoio todos os homens unidos, suando e chorando como uma família.

OFF: …Me juntando com um monte de homens suados e semi-nus numa sala escura, droga, isso não soou bem.
OFF: Não se preocupe, a edição cuida disso, vai te fazer parecer menos gay.

Mr. Pink: Tyler, como é trabalhar no Misinformation?

Tyler: É tudo muito fascinante o blog parece ter vida, sabe? É tanta gente, tantos macacos espaciais que parece que as divs do blog respiram! Transpiram! Trabalham, fazem sabonete como um organismo próprio!!!

Butch se recusou a ser entrevistado por um de seus colegas de equipe, e exigiu que fosse contratado um entrevistador profissional para fazê-lo, como não havia dinheiro o bastante, Mr. Pink escreveu as perguntas em uma lista e entregou a um cara qualquer que encontrou na rua, segue a entrevista:

Entrevista com Butch

Entrevista com Butch

Entrevistador: Vamos lá… Bom dia, converso hoje com Butch Coolidge do Misinformation.com.br, olá Butch como vai você?

Butch: Nada mal

Entrevistador: Isso é bom, eu acho… Butch como é trabalhar no Misinformation?

Butch: Trabalhar? Tem alguém me pagando?

Entrevistador: Não, mas… Quero dizer… Como é, fazer parte desse renomado grupo?

Butch: Ah sim, me sinto honrado em participar junto com outros 2 ícones da cultura pop.

Entrevistador: Entendo, entendo… E como você se relaciona com Tyler e Mr. Pink?

Butch: De uma forma hétero? Eh isso?