butch

E aqui estou no aguardo de uma aula que não é a minha, na verdade a aula o é, mas o professor não, o professor que ministraria a aula para a minha parte da turma não veio hoje, e este professor decidiu que daria aula para a turma toda, e aqui estou, ao meu lado Tyler faz algo que não tento entender, algo para facilitar a produção de sabonetes, eu odeio a matéria de hoje, acho-a maçante e cansativa o professor está terminando de resolver qualquer coisa e ainda não começou a passar o conteúdo, a minha direita Layla está com seu aparente novo namorado, que outrora chamei de amigo, e nesse ínfimo momento fui atingido por uma estranha vontade de escrever, nesse ínfimo instante pareço ser capaz de atingir um nível de consciência superior, e compreender aquilo que por vezes tentei e fui incapaz, nesse momento a vida parece fazer um pouco mais de sentido, mas sou incapaz de descrever exatamente a sensação que me traz, estou escrevendo, simplesmente porque me parece o momento perfeito para tal.

Tento lembrar como tudo começou.

Tento lembrar como tudo começou.

Certo dia saímos para caçar, eu, Tyler e Butch, marcamos tudo, alugamos um carro (por mais que hoje em dia ninguém alugue carros) e fomos para a floresta caçar.

Caçando

Caçando

infelizmente Butch alguém se esqueceu de levar as armas para podermos caçar, e por consequência tudo o que tínhamos em mãos, era uma espingarda de chumbinho que pertencia a Tyler em sua infância, o que limitou nossas tentativas de abater um animal a uma, resignados caminhamos pela floresta e vimos uma onça correndo ao longe perseguindo uma zebra.

Punhos e Espada:

Cuidado!

Texto: Butch segundo Mr. Pink.

Eu subi na moto, e acelerei, eu me lembro de quando cortei aquele homem, eu salvei um homem que me adorava, e que depois me odiava, um homem que colocou minha cabeça a prêmio, e queria me matar, eu não esperava vê-lo nunca mais, e nem ele esperava me ver tão cedo, nós dois fomos pegos, e quase fomos mortos, eu já fui um policial duro de matar, já fui um boxeador de sucesso, e agora estou simplesmente correndo pra longe, ele não vai me matar, eu salvei a vida dele, mas ele não vai me perdoar, tenho que ir embora, pra longe, me desculpe Fabienne, mas vamos ter que nos mudar de novo, ela vai ter que entender, pelo menos eu consegui o relógio, o relógio do meu pai, o relógio que meu pai passou o inferno pra que eu tivesse, malditos vietcongs, malditos comunistas, eu sempre resolvi as coisas com meus punhos, mas punhos não são mais uteis, nem espadas, eu usei uma espada quase como um grito de libertação de um milhão de gerações que lutava com armas brancas, mas vivemos no mundo da pólvora, vivemos num mundo onde as armas são mais fortes que os punhos e as espadas, não importa o quanto você é bom, não importa o quanto você é forte, só importa quantas balas você consegue comprar, quantas armas você consegue contratar, é isso o que importa hoje, quanto dinheiro você pode dar para a industria bélica, é isso o que importa hoje em dia, esse é o mundo de hoje, o que mais existe nesse mundo além de lutas, as coisas eram mais fáceis antigamente, quando eu podia resolver as coisas com um soco, hoje se eu fizer isso posso acabar morto, eu só quero levar Fabienne para um lugar calmo e lindo, onde a grama é verde e as garotas bonitas, eu quero ir para a cidade do Paraíso, estou chegando… Melhor me concentrar na direção, é engraçado como as coisas são, a alguns minutos Zed estava bem, se sentindo um Deus, agora o Zed ta morto

Volte para o especial de 50 posts: Cinquenta Posts Desinformátivos

Butch se recusou a ser entrevistado por um de seus colegas de equipe, e exigiu que fosse contratado um entrevistador profissional para fazê-lo, como não havia dinheiro o bastante, Mr. Pink escreveu as perguntas em uma lista e entregou a um cara qualquer que encontrou na rua, segue a entrevista:

Entrevista com Butch

Entrevista com Butch

Entrevistador: Vamos lá… Bom dia, converso hoje com Butch Coolidge do Misinformation.com.br, olá Butch como vai você?

Butch: Nada mal

Entrevistador: Isso é bom, eu acho… Butch como é trabalhar no Misinformation?

Butch: Trabalhar? Tem alguém me pagando?

Entrevistador: Não, mas… Quero dizer… Como é, fazer parte desse renomado grupo?

Butch: Ah sim, me sinto honrado em participar junto com outros 2 ícones da cultura pop.

Entrevistador: Entendo, entendo… E como você se relaciona com Tyler e Mr. Pink?

Butch: De uma forma hétero? Eh isso?

Esse é o post de número 50 do Misinformation.com.br

Decidimos preparar um especial pra vocês!

Solta a vinheta!

Vinheta? Não temos Vinheta…

“Uma Obra Prima” PAULO, Folha de São.
“O melhor site de todos os tempos” VEJA, Revista.
“Criticas justas e imparciais!” CAPITAL, Carta.
“Conteúdo preciso e interessante” MARTIN, George R. R.
“Sátiras inteligentes e bem-humoradas!” TORIYAMA, Akira.
“Textos profundos e bem escritos!” GAIMAN, Neil.