layla

E aqui estou no aguardo de uma aula que não é a minha, na verdade a aula o é, mas o professor não, o professor que ministraria a aula para a minha parte da turma não veio hoje, e este professor decidiu que daria aula para a turma toda, e aqui estou, ao meu lado Tyler faz algo que não tento entender, algo para facilitar a produção de sabonetes, eu odeio a matéria de hoje, acho-a maçante e cansativa o professor está terminando de resolver qualquer coisa e ainda não começou a passar o conteúdo, a minha direita Layla está com seu aparente novo namorado, que outrora chamei de amigo, e nesse ínfimo momento fui atingido por uma estranha vontade de escrever, nesse ínfimo instante pareço ser capaz de atingir um nível de consciência superior, e compreender aquilo que por vezes tentei e fui incapaz, nesse momento a vida parece fazer um pouco mais de sentido, mas sou incapaz de descrever exatamente a sensação que me traz, estou escrevendo, simplesmente porque me parece o momento perfeito para tal.

Tento lembrar como tudo começou.

Tento lembrar como tudo começou.

Venho por intermédio dessa, (devido ao fato de que indiretas no face são algo muito mainstream), falar da traição… Isso pois a traição que me aflige não pode ser mencionada de forma simples, por que um outro homem que eu confiava, que eu considerava meu amigo e confidente, meu aliado e meu parceiro, não era meu brother, todas as vezes que nos abraçamos nus e fizemos promessas de lutarmos juntos contra um exercito de trolls nada valeram, não quando o assunto se tornou Layla!

Traidor!

Imagem meramente ilustrativa, essa não é e nem se parece com Janaina.

Todos nós, homens ou mulheres, temos um lado feminino, acredite ou não, eu tenho e você também, o meu lado feminino se chama Janaina, uma lésbica caminhoneira com pouco mais de cem quilos, uma deusa entre os mortais.

Hoje falarei do vermelho, é a cor do sangue, a cor do amor, a cor da vida!

O vermelho se trata de uma das três cores primárias, também é conhecido como encarnado ou escarlate.

Um dos sentimentos que ligamos a essa cor é o amor, e é dele que vou falar hoje!

Você é capaz de amar qualquer coisa, sua família, seus amigos, ou um parceiro, e eu amei alguém, seu nome era Layla, ela me deixou de joelhos, eu fiquei implorando, mas ela não acalmou minha mente preocupada.

Oh como eu amava aquela garota, tão meiga e sensível, que eu poderia passar dias a abraçando apenas dizendo que tudo ficaria bem, o amor é assim mesmo, você adora uma pessoa, mas as vezes ela não sente o mesmo por você!