tyler

Um ano atrás, um amigo nosso conhecido vulgarmente como “O Mais Velho de nós”, ou “Django”, me desejou Feliz Aniversário de uma forma que considerei no mínimo curiosa:

Feliz Aniversário

Esse ano o próprio Tyler fez questão de fazê-lo, fica aqui, seu depoimento:

Mais um ano, menos um ano…. O ciclo sem fim. Corremos atrás do sol na esperança de que sua luz nos salve da eternidade fria e solitária da meia noite. Mesmo sabendo que nunca vamos alcançar a magnificência desse corpo Celeste, a mera ilusão de queimar alvo e poderoso como esse astro rei já vale o penar da eterna meia noite.
Feliz aniversario!!!!

Bem, aqui fica meu desejo de feliz aniversário, a todos os aniversariantes de todas as datas que acompanham o Misinformation!

Isso é um bolo, se você ainda não percebeu!

Isso é um bolo, se você ainda não percebeu!

Coincidentemente sábado dia 14 o Misinformation completou um ano de vida, obrigado a todos que fizeram parte dessa família!

Esperamos continuar com vocês por anos a fio.

“A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.”
Charles Chaplin

Faaaala galera, Tyler no comando. A vida de blogueiro tá tão l0k4 que ficou pra mim o Desinforme-se dessa semana. Acho que nunca fiz um. Algumas pessoas dizem que eu fiz o 10, mas eu não me lembro disso. Vamos lá:

Primeiro uns links

Brasil mandando bonito lá fora: Entrevista de Justin Timberlake pela Sabrina Sato(vídeo em PT-BR, site EN)

pega uns links dos chats

Se sua namorada estiver precisando e você não é capaz: Cursos de felação em Salvador

ATENÇÂO: IMAGENS FORTES E PESADAS DE CONTEÚDO DUVIDOSO

A exposição que é um verdadeiro Cú

aí coloca uns gifs porque sim

 

Um pra introduzir os leitores

Um gif pra introduzir os leitores

 

Um gif aqui

Um outro aqui

Uma história emocionante: Eliabe, o mestre dos lobos, vlw, flw, moh emocaum

Pros tranzudos de plantão: Os benefícios do bom e velho entra e sai

Um gif maneiro, só pra dar conteúdo

Um gif maneiro, só pra dar conteúdo, mas pode-se dizer que ele celebra o início do final de semana

Aí eu coloco mais uns links a mais só pra poder intercalar com um último gif

 

Neversoft se rendendo a isso?

Neversoft se rebaixando a isso?

Cuidado para não dormir e sair transando com estranhos ou matando gente: 5 casos bizarros de sonambulismo

Não é bem um link, mas fuck yeah dementia

E aqui estou no aguardo de uma aula que não é a minha, na verdade a aula o é, mas o professor não, o professor que ministraria a aula para a minha parte da turma não veio hoje, e este professor decidiu que daria aula para a turma toda, e aqui estou, ao meu lado Tyler faz algo que não tento entender, algo para facilitar a produção de sabonetes, eu odeio a matéria de hoje, acho-a maçante e cansativa o professor está terminando de resolver qualquer coisa e ainda não começou a passar o conteúdo, a minha direita Layla está com seu aparente novo namorado, que outrora chamei de amigo, e nesse ínfimo momento fui atingido por uma estranha vontade de escrever, nesse ínfimo instante pareço ser capaz de atingir um nível de consciência superior, e compreender aquilo que por vezes tentei e fui incapaz, nesse momento a vida parece fazer um pouco mais de sentido, mas sou incapaz de descrever exatamente a sensação que me traz, estou escrevendo, simplesmente porque me parece o momento perfeito para tal.

Tento lembrar como tudo começou.

Tento lembrar como tudo começou.

Certo dia saímos para caçar, eu, Tyler e Butch, marcamos tudo, alugamos um carro (por mais que hoje em dia ninguém alugue carros) e fomos para a floresta caçar.

Caçando

Caçando

infelizmente Butch alguém se esqueceu de levar as armas para podermos caçar, e por consequência tudo o que tínhamos em mãos, era uma espingarda de chumbinho que pertencia a Tyler em sua infância, o que limitou nossas tentativas de abater um animal a uma, resignados caminhamos pela floresta e vimos uma onça correndo ao longe perseguindo uma zebra.

Coincidência:

Ou destino?

Texto: Tyler segundo Mr. Pink.

Toc, toc, toc, o relógio bate, as pessoas pensam, mas não falam, está tarde e os pássaros não cantam, eu não sou ninguém, sento de frente pra uma parede enquanto penso sobre as coisas que aconteceram no dia de hoje, joguei vídeo-game, algo da Konami, nem me lembro mais o que era, coincidentemente hoje completa um ano da minha saída da prisão, isso são três anos desde que eu matei aquele homem, são cinco anos desde que eu assisti aquele filme com o Jim Carey, qual era mesmo o nome? Aquele sobre as coincidências ao redor de um número qualquer, eu não me lembro qual era o número, fazem três messes, três dias e três horas que eu estou de volta a minha cidade natal, fazem quatro anos que eu frequentei meu primeiro grupo de apoio, sobre parasitas no cérebro, fazem dois messes que eu comprei meu ultimo vídeo-game, fazem duas horas que estou parado de frente pra parede fazendo alguns cálculos, na verdade isso é mentira, faz só uma hora e cinquenta minutos, nesse momento faltam exatamente dez minutos para a meia-noite, cinquenta minutos e um segundo, o tempo passa, fazem dois anos que eu esqueci o meu nome, fazem quinze anos que eu terminei a universidade, fazem cinco anos que eu sai da empresa da qual eu trabalhava após brigar com meu chefe, fazem dois minutos que eu comecei a pensar nisso, faz uma semana que eu voltei a pensar em auto-destruição, faz vinte anos que eu vi pela primeira vez o homem que eu matei a três anos, ou menos, faz dez segundos que ouvi a porta de meu quarto se abrir, faz um mês que eu voltei a ter insônia, foi quando eu percebi que todas as datas se encaixavam precisamente, com falha de horas, depois de minutos, fazem quarenta anos que meu pai conheceu minha mãe, fazem trinta e cinco anos que eu nasci, fazem trinta e quanto anos que meu pai foi embora, ele fazia isso exatamente a cada seis anos, fazem dez horas que não vejo ninguém, fazem vinte que não falo com ninguém, faz seis messes que não vejo a mulher que causou tudo isso, faltam dois minutos pra meia-noite, faz cinco minutos que ouvi a porta se abrir, faz dois segundos que me virei em direção a porta, faz duas horas que não como nada, faz dois dias que não tomo banho, faz mais de dois mil anos que Jesus morreu, faz cinquenta dias que não ando de carro, faz cinco segundos que não olho para o relógio, olho para o relógio, faltam dez segundos para a meia-noite, nove, oito, sete, seis, cinco, quatro, três, dois, um

- Olá Tyler.

- Sentiu saudades?

Volte para o especial de 50 posts: Cinquenta Posts Desinformátivos